INÍCIO . RESENHAS . PERFIL . TOP 5 . +LITERAR
CRÔNICA DO DIA . AGENDA

Informações

Este artigo foi escrito no dia 05 set 2013, e pertence à categoria Resenhas.

Tags

, , , , , , ,

Resenha: Morro dos Ventos Uivantes [Emily Brontë]

Resenha escrita pela colunista convidada Ingrid Abbade. Ingrid escreve sobre moda, design e fotografia no (delicioso) blog Gosto de Canela e aceitou nosso convite para contar sua experiência com Morro dos Ventos Uivantes, livro de Emily Brontë.

spoiler1

Falar sobre livros icônicos e muito importantes é sempre difícil. Para mim, ler O Morro dos Ventos Uivantes foi como fazer uma viagem no tempo. É clichê, eu sei. Mas não fui transportada ao tempo no qual Emily Brontë escrevia – e sim à minha infância, quando numa tarde qualquer vi o filme de mesmo nome e algumas imagens nunca mais saíram da minha memória.

Antes de mais palavras, esse livro tem um gostinho muito querido pra mim. Comprei na primeira vez que fui a um sebo perto do meu estágio, um sebo pequeno, mas tão bem decorado e convidativo que já entrei querendo sair com uma compra. Olhei, garimpei e por fim, para dar “licença” a um outra exploradora, vi esse livro. A 1ª Edição para a Coleção Abril publicada em 1971, com uma capa vermelha linda, letras em dourado, páginas amareladas e custando meros R$8,00. Fiquei insegura, andei, andei, com ele ainda na mão, mas aí lembrei do filme. De como algumas imagens me marcaram tanto e que ler a história finalmente seria como completar uma fase.

literar-morro01

Passado o romantismo da compra, me debrucei na história. Passada no começo do século XIX, acompanha uma moça rebelde e bastante mimada que se apaixona por um cigano adotado por seu pai sem muitas explicações – o que causa ciúmes em toda família. Heathcliff e Catarina, o casal de anti-heróis mais famoso e odiado da literatura, se apaixona de maneira surreal. Porém, por conta do orgulho, ambição e vingança, não vivem seu amor e acabam o levando para além da vida.

A todo momento você é provocado, intimado a raciocinar sobre os personagens que lê e ainda decifrá-los. Ficamos presos a uma história – sempre narrada pela empregada Nelly que conhece de perto a história de todos ali, principalmente a do casal controverso – e no final de tanta reflexão você não sabe se apoia Heathcliff ou se o odeia por conta de toda sua falta de escrúpulos, maldade e dissimulação. Ambos vivem numa sociedade que os pressiona a destruir seus verdadeiros “eus” – o que gera certa compaixão com os dois e seus sofrimentos. Eles vivem a separação de forma trágica e com consequências extremas (principalmente por parte de Catarina, que se entrega a uma depressão como forma de se vingar dessa sociedade que a forçou a se casar com outro homem para ter uma posição de dama e por isso ser respeitada).

literar-morro02

É desafiador nos pegar observando os personagens e famílias, percebendo que em alguns casos o meio os corrompe e os torna todos detestáveis. Por outro lado, em alguns momentos (ou em algumas pessoas), há algo de inato e não corrompível: como o próprio casal, que por estarem separados e se identificarem em suas personalidades livres e rebeldes, nunca se sentem pertencentes a nenhum lugar em que não estejam juntos. O tratamento do que é belo ou feio é tão subjetivo que nos esquecemos desses padrões enquanto lemos. As descrições em sua maioria são psicológicas, e mesmo assim são do trato como ” […] um coração ruim torna o mais belo de todos em algo terrível”.

Tão intenso, surpreendente e inquietante que é muito fácil compreender porquê Emily teve que se tornar Ellis Bell para conseguir publicá-lo. Ainda assim, seu livro foi rejeitado por tratar do amor entre dois anti-heróis  da forma forte como o fez, por  fugir da tradição vitoriana de romance e usar de violência e morbidez.

Contradizer a ordem: acho que essa é a frase para o livro. E o mesmo vale para Emily, que ao falecer em 1848 não chegou a ver seu livro assinado por seu verdadeiro nome – e que, ironicamente, em seu livro a sociedade e seus valores acabam triunfando no final.

.

literar-morro-capaMORRO DOS VENTOS UIVANTES

Autora: Emily Brontë
Título original: Wuthering Heights
1847, aprox. 200 páginas, várias edições

Onde comprar?
Saraiva
Submarino
Estante Virtual (novos e usados)
Amazon (em inglês)
Domínio Público (download gratuito)

.

por Ingrid Abbade

.

assinatura-todos

.

*texto escrito pela colunista convidada Ingrid Abbade e publicado originalmente em seu blog pessoal.

.

Comentários

comentário(s)